terça-feira, 4 de outubro de 2011

Presente Natalino



Tratava Jaqueline como filha, era colega de trabalho, a mais nova, tinha 18 aninhos, muito meiga, todo dia vinha cumprimentar-me, lhe abençoava, e dizia a todos o quanto gostava dela como filha, magrinha, rostinho de menina moça, sorridente, tinha um namoradinho, que também me respeitava muito. Já li alguns contos de incesto, achava que nunca aconteceria comigo, mas chegou o dia.
Final de Ano, uma outra colega, casada, teve a incumbência de montar um amigo oculto e seria em sua casa, convidou eu e Jaqueline para arrumação, fomos do serviço pra lá... Ainda com os uniformes, começamos subir escada, fixar adereços... Jaqueline reclamou da imobilidade devido ao uniforme, Yasmim dona da casa pegou dois shorts, um feminino e outro masculino, ambos bem folgado, para nós, trocamo-nos, Jack colocou um de moletom, curto e largo. Yasmim disse que sairia para comprar o que estava faltando, ficando eu e Jack arrumando tudo.
Jack mais ágil que eu é quem subia e descia, para colocar os enfeites e eu ficava embaixo apoiando, por estar largo o shorts, revelava sua minuscula calcinha, fiquei ouriçado, numas das subidas e decidas ela desequilibrou e coloquei a mãos em suas cochas, escorregando até sua calcinha, senti que estava molhada, úmida por algo pegajoso, a filha da puta tava excitada, acho que ela viu que eu também, na descida aproveitei para encocha-la, até parece que era ela que queria se esfregar em mim.... Falei: Menina não mexe com quem está quieto... Quieto, você...Acho que não, sou nova mas não sou bobinha... Ela descaradamente botou a mão em minha mala, e acariciou minha pica, estava latejando... Rimos e colocamos mais alguns enfeites e sempre na descida e subida, aproveitávamos para um sarrinho, aquela menina tava me atordoando... numas das descidas da pequena escada, ela tinha se virado de frente e na descida nos encontramos e o beijo foi inevitável, passei a mão em suas costas e fui descendo, coloquei a mão por dentro do shorts, tateei a calcinha, o rego até a vagina, ela estava muito excitada, puxei pra mim e beijei, ela respirava forte, deitamos no carpete, tirei sua blusa e sutiã, um pequeno seio surgiu... delicado, de bicos rosados, mamei, beijei, ela já se esfregava em mim, tirei seu shorts, aquela magrelinha parecia uma dançarina do ventre, se contorcia toda, tirei minha camiseta, calção e cueca. Ela pegou minha rola massageou, acariciou, passou sobre os seios e por fim colou na boca e delicadamente sugou... tudo na menina era meigo...Ela deitada fazendo-me carinho, fui tirando sua calcinha e colocando a mão em sua pequena e de poucos cabelos xoxotinha, acariciei, mexi em seu clitóris, ela começou a acelerar com a boca seus carinhos, coloquei um dos dedos no interior de sua vagina, ela tremeu.. ela se ajeitou e com as pernas abertas me recepcionou, coloquei o Juninho na entradinha, parece que não ia caber, com a cabeçorra percorri toda área de sua bucetinha, estava muito excitada, voltei a mirar na entradinha e forcei, estava apertada... forcei mais um pouco... tava difícil... ela recuou um pouco... comecei a brincar e forçar aos poucos... apesar da alta lubrificação não entrava, ela pediu para eu ficar por baixo e ela por cima. Deitei de costa e ela fez mais uns carinhos, beijinhos, molhando com a saliva ainda mais o Juninho... Direcionou e foi sentando, não fez nem o vai e vem, com os olhos fechados ia forçando a passagem, decidida ia descendo em direção da base, demorou um pouco, mais entrou até o talo, em seu rosto escorria dois fios de lagrimas... ai ela começou a cavalgar, loucamente... Gemia alto, teve uma hora que o Juninho saiu, estava cheio de sangue... O Anjo era virgem... Virgem... porra nessa altura do campeonato eu pegando um perola dessa... Ela gozou bastante e eu preocupado, emocionado não gozava... ela deu uma parada e aproveitei fui no banheiro tomar uma ducha para voltar revigorado, deixando-a estirada no carpete... Voltei pra sala... outro susto... Yasmim acariciava Jack, meigamente ...Não sabia o que fazer, fiquei estático... Yasmim riu pra mim e disse: Gostou do presente de Natal? - Adorei! - Então venha acarinhar sua preza ... Levantando saiu e eu deitei do lado de Jack, acariciando aquele corpinho de menina, olhando cada pedacinho daquela princesa, minha princesa. Jack ficou deitada, com os olhos fechados, devia estar cochilando... Derrepentemente, não mais que derrepentemente quem surge enrolada numa tolha de banho... Yasmim, Loura, pequena, torneadinha, disse-me: Vamos ver o que perdi na minha ausência e veio pra cima, jogando-me deitado no carpete (o carpete era gostoso, limpinho e confortável) Disse: Você esta também precisando de uma massagem. Abriu a toalha que me enrolava e começou a massagear meu ombros, sentada em cima de meu pênis, que estava meio adormecido, senti que nada estava embaixo da toalha, aquele corpinho cheiroso estava a pelo e movimentava em cima do Juninho, que com o contato já se fazia presente, ela foi se movimentando, esfregando, pra cima e pra baixo até que .. Pluft, entrou, Yasmim virou os olhos, respirou fundo, sentiu profundamente e com gosto. Tudo dentro...Começamos a movimentar... Algo começou acariciar meus testículos, era Jack , averiguando a penetração, Yasmim puxou-a fazendo com que sentasse em meu rosto, pude ainda sentir o gosto do presente que trocamos momentos atrás.. As duas abraçadas e movimentando, cada vez mais rápido, fodia Yasmim e chupava Jaqueline... as duas rosnaram ao mesmo tempo, chegaram ao clímax... pararam, aproveitei pra respirar.. Yasmim saiu primeiro, ficando Jack, que deitou de lado, pedi para que virasse, eu ainda não tinha gozado, então ela com o Bum-bum pra cima, penetrei-a por trás, na vagina, agora já sem dificuldade, atolei, é muito gostoso foder desta maneira... movimentei, estoquei, empurrei, fodi... Jack estava nas nuvens... já quase pra gozar, tirei o Juninho e pedi pra Jack colocar a boca... ela fez alguns movimento com os lábios e comecei gozar ela tirou da boca para que eu esporrasse em teus pequenos seios... Beijamos e fomos ao banheiro... Yasmim ainda estava lá, tomamos um banho a três, penetrei as duas novamente... Como já era tarde e tínhamos de ultimar os preparativos...Voltamos ao trabalho
Na festa do amigo oculto, minha amiga era?....era?....era?.... Jaqueline, me deu um presente bem embrulhado, rasguei um pedaço do papel e percebi um tecido conhecido, não continuei, pois se o fizesse não ia dar certo... pois o papel embrulhava a calcinha ensopada de Jaqueline... É um presente que guardo de coração, foi o mais belo momento ultimamente que me aconteceu... Houve outros encontros, separados , Yasmim e Jaqueline, não curtem, falam que fazer amor é exclusividade... que aquela situação exigia uma ação e reação, foi bom, mas agora só separados, mesmo sabendo uma da outra....


conto retirado do site     
http://www.casadoscontos.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário